Dr. Marcus Vinicius orienta as pessoas neste período de queda na temperatura

Loui Jordan

Com o fim do outono se aproximando e a chegada do inverno, não só as temperaturas tendem a abaixar. Com o registro das baixas temperaturas, médicos alertam para o risco de problemas e doenças respiratórias, como a bronquite, sinusite, resfriado e gripe, que podem surgir, especialmente em pessoas mais vulneráveis como as crianças e os idosos.

No município de Três Pontas, as coisas não são diferentes. Já é possível sentir a passagem da estação aos poucos, a noite já está mais fria e o tempo começando a ficar seco. O médico pneumologista, Dr. Marcus Vinicius Moreira alerta para alguns fatores, tanto de época, quanto aspectos que possam passar despercebido nas rotinas.

De acordo com Dr. Marcus, a soma de frio, tempo seco e menos ingestão de água, potencializa a incidência do contato com esses alérgenos. “O problema dessa época do ano é o seguinte: o tempo fica frio e seco. Então, nós ficamos mais expostos as partículas que ficam presentes no ar, a poeira, a fumaça da própria poluição, seja por automóvel, caminhão, ônibus, ou até as queimadas, então a gente fica mais propenso a ter contato com essas partículas que causam alergia. Com isso, soma o fator que com uma época mais fria, o pessoal tende a beber menos água, então aí a micose do nariz acaba ficando um pouco mais ressecada e mais propenso a esse tipo de contato e desencadeando as alergias. ”

A principal orientação é se hidratar. Estar se alimentando, bebendo líquido e respeitando algumas outras recomendações, faz com que a pessoa esteja mais blindada a esses riscos. “Primeiro beber muita água, hidratar muito nessa época do ano, porque umidificando a mucosa do nariz e boca a gente tem uma certa proteção, uma barreira contra esses alérgicos. Outra coisa é evitar lugar fechado, porque fica uma concentração de pessoas muito grande, o ambiente não fica ventilado por causa do frio. Isto aumenta a chance de contágio entre as pessoas em contato com o vírus. Isto costuma transmitir mais em ambiente fechado e pouco ventilado”, recomenda o pneumologista.

Exercício físico

Aos adeptos dos exercícios físicos, sempre gera um estilhaçamento de opiniões em relação a prática desses com a temperatura baixa. Pois bem, algumas pessoas acreditam que em tempo de frio, o uso do agasalho ou blusa, é dispensável, já que praticante irá transpirar e, portanto, gerar calor. Nesse caso, o sugerido é se adaptar sempre a determinada estação ou época do ano, isto posto, se estiver fazendo frio, se agasalhe.

Asma

Em relação à asma, é possível com o tempo frio e seco, ela atacar. Existem dois problemas, o primeiro é a pessoa que utiliza a bombinha por determinado tempo e acha que já está bem, o segundo é o uso incorreto da mesma. O que se aplica é simples, manter o uso correto das medicações inalatórias e assim como todos, se hidratar e evitar ambientes fechados.

As mãos e os bebês

Das respostas mais procuradas, são aquelas que visam a saúde dos bebês nesse período de ano. Outro ponto importante e que também faz parte dos cuidados com as pessoas, principalmente bebês e idosos, são as mãos. A higiene das mãos é fundamental na luta contra esses vírus que se espalham pelo ar.

Em relação as mãos, devemos nos atentar a dois tipos de contato. “A transmissão da gripe e do resfriado, ela tem a transmissão direta e a indireta. A direta é você tossir ou espirrar e outra pessoa ter o contato com aquele vírus direto na respiração. A indireta, a pessoa vai tossir, põe a mão na boca e depois de cumprimentar, coloca a mão na maçaneta da porta, outra pessoa pega ali e por exemplo coça o olho, acaba tendo o contato com o vírus”, adverte Marcus Vinicius.

Quando o assunto é crianças, o médico enfatiza o fato da alimentação ter uma importância vital e claro, cumprir com as orientações é o dever que possuem os pais. “A mãe deve continuar priorizando a amamentação da criança. A Organização Mundial de Saúde (OMS), recomenda a amamentação até os dois anos, porque ali tem anticorpos que protegem a criança. Em casa manter um ambiente ventilado, abrir janela, deixar o ar correr é importante. Se o tempo estiver muito seco, o umidificador ou vaporizador ajudam bem. Agora nós vamos entrar em uma época que não vai chover de tempo seco. Se não tiver o aparelho em casa, pode usar uma toalha molhada na cabeceira da cama ou uma bacia com água também funciona bem.”

Todos esses possíveis riscos, possuem origem em fatores climáticos. As doenças, os perigos, as crises e os resfriados sempre existiram, o que muda é o clima. De certa maneira as pessoas estão menos fortalecidos nessa fase. O lado ruim disso é culpa do próprio ser humano que diversas vezes não se cuida tanto, porém é necessário se policiar buscando seguir as recomendações. “É o melhor a ser feito por aqueles que querem viver um inverno gostoso e produtivo”, esclarece Dr. Marcus.

Cuidados do dia a dia

Nessa época, é natural utilizar-se de blusas que estavam esquecidas. Esses e mais cuidados, são fatores que a medicina orienta para quem quer se prevenir durante a rotina do cotidiano.

Blusas, cortinas e roupa de cama

A relação com a blusa costuma ser temporal, portanto, segundo Dr. Marcus Vinicius, orienta que o cuidado com a blusa, pode passar despercebido e isso não é bom. “A blusa de frio fica guardada no armário o ano inteiro. Chega nesta época de frio e você lembra de tirar do armário. Então é recomendado a tirar, lavar e deixar exposta ao sol, até passá-la pela questão do ácaro. O ácaro é um fator de alergia dentro de casa. ”

Para o médico, as roupas de cama e os outros itens da casa que acumulam poeira, devem ser bem cuidados e até mesmo, substituídos por um tempo. “Sempre trocar a roupa de cama e mantê-la limpa. No quarto ao invés de passar a vassoura que levanta aquela quantidade de poeira no ar o indicado é usar um pano úmido no chão. É importante também evitar coisas que acumulem muita poeira no quarto, como tapetes, cortinas de pano e tomar cuidado com as crianças com ursinho de pelúcia.”

Cães e gatos

Quem possui animal em casa, como cães e gatos, devem ficar atentos. O felino é mais complicado na questão de cuidados, já que a saliva do gato é um problema. Evite que ele fique em quartos e em cima de móveis. Já o cão, um banho por semana é o suficiente para se prevenir.

COMPARTILHAR