No atestado de óbito de Sebastião Carlos Pinto, de 55 anos, consta que ele sofreu choque hemorrágico, politrauma (quando tem mais de uma fratura) e trauma baçal (lesão no braço). Isto descarta a suspeita, de que o rapaz que foi encontrado morto no bairro Antônio de Brito, na noite de quinta-feira (11), tenha apenas passado mal.

Analisando de forma mais detalhada as imagens do circuito de câmeras do supermercado e ao fazer levantamentos investigadores da Polícia Civil de Três Pontas descobriram que Sebastião foi atropelado. Ele subia a Rua Zita Duarte a pé, mas ao virar na Rua Amadeu Aliprandi subiu na bicicleta que empurrava. Ele pedalou poucos metros e cai, provavelmente depois de passar mal. Uma caminhonete desce e desvia, chega até a subir na calçada para não passar por cima do corpo. Uma testemunha chega e vê Sebastião caído e pega o telefone celular para acionar o SAMU. O local estava escuro.

Rua Amadeu Aliprandi onde Sebastião foi socorrido

Quando desce um Corcel, o rapaz faz sinal com os braços indicando que havia alguém caído no chão. Mesmo assim, este motorista passa por cima de Sebastião. O suspeito parou um pouco mais para baixo, desceu do carro e foi ver o que tinha acontecido. Quando é informado pela testemunha que tinha atropelado Sebastião e vê que o rapaz ficou bastante ferido, o motorista diz que está com o documento do veículo atrasado, que não ficaria no local e foi embora, sem prestar socorro.

Os socorristas levaram o homem para o Pronto Atendimento Municipal (PAM), mas ele já estava morto. Ele estava sem nenhum documento e só foi identificado na manhã de sexta-feira, depois que familiares viram que Sebastião não tinha voltado para casa. O rapaz estava morando com a sobrinha no bairro Morada Nova. O rapaz não tinha problemas de saúde, mas segundo a família, fazia uso frequente de bebidas alcoólicas.

O corpo da vítima foi sepultado no início da noite de sexta-feira (12), no Cemitério Municipal de Três Pontas.

COMPARTILHAR