Local onde será construído a hemodiálise no Hospital São Francisco de Assis

 

*Investimento é de cerca de R$5 milhões, serão viabilizados através de empréstimo exclusivamente para a implantação do novo serviço

Três Pontas está prestes a realizar um sonho antigo, de pelo menos 15 anos, um avanço importante na área da saúde. Durante uma Assembléia Extraordinária realizada na noite de quarta-feira (15), realizada de forma virtual, foi aprovado um empréstimo para a instalação de hemodiálise e mais 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis.

O provedor Michel Renan Simão Castro, classificou o dia do anúncio como “dia histórico”, que vai trazer uma independência financeira da Santa Casa. Com estes novos serviços, serão geradas receitas para que o Hospital tenha sustento, além da grande ajuda da população que são primordiais e das emendas parlamentares dos deputados. “Não fosse este conjunto, a Santa Casa já estaria com as portas fechadas”, garantiu o Michel Renan.

O vice provedor Wilson Júnior disse que ao demonstrar a proposta para a Irmandade, foi muito bem visto, por saberem da necessidade quando tem alguém da família que sai cedo de casa e passa o dia todo fora.

Instalação da hemodiálise e novos leitos da UTI

O provedor Michel Renan, o vice Wilson Júnior e o diretor clínico da Santa Casa Dr. Eduardo Vasconcelos, falaram sobre o trabalho e a importância desta conquista. Os esforços para que a hemodiálise fosse implantada já tem bastante tempo e vem de encontro a necessidade de encurtar caminhos daqueles pacientes que precisam pegar estrada, percorrer até 100 quilômetros para fazer o procedimento, o que traz sofrimentos e é desgastante para a própria saúde deles.

Michel buscou informações em São Lourenço e em Varginha, onde a hemodiálise já funciona. Conseguiu que o médico Dr. José Raimundo Silva apontasse os caminhos a serem seguidos. Os tramites burocráticos começaram em setembro de 2019. Ele foi a Brasília no evento Pró-Santas-Casas, esteve com o presidente Jair Bolsonaro e foi aberto uma linha de crédito para as santas casas, para a melhoria da estrutrura das unidades e a implementação de alguns serviços. Com a hemodiálise será implantado mais 10 leitos de UTI, totalizando 20. Está sendo liberado um montante de cerca de R$5 milhões. A hemodiálise demandará recursos na ordem de cerca de R$3,5 miilhões para a compra dos aparelhos mais R$700 mil nos leitos de UTI. Ainda haverá uma sobra, que servirá como reserva, para sustentar o setor neste início, já que o Sistema Único de Saúde (SUS) demora 60 dias para pagar pelos serviços prestados. Com os novos setores, serão contratados cerca de 60 colaboradores, entre médicos, técnicos, enfermeiros e equipe de limpeza.

Quando estiver em franco funcionamento, a hemodiálise terá capacidade de faturamento de R$600 mil mês. Nos 24 primeiros meses a rentabilidade é muito boa, porque os insumos normalmente são adquiridos junto com os aparelhos e a manutenção são menores e mais baratas, que vai permitir o pagamento do empréstimo e ainda criar um caixa.

A hemodiálise terá 32 cadeiras, atendendo a 32 pacientes por vez por turno, de 7:00 as 17:00 horas. A capacidade é atender 200 pessoas de Três Pontas e da microrregião. No último levantamento feito no segundo semestre do ano passado, apontava que 186 pacientes dependiam do serviço. O Hospital São Francisco de Assis se torna referência em mais um serviço. A construção será feita abaixo do setor psicossocial que vai permitir acesso para o recebimento dos pacientes. O projeto está recebendo ajustes técnicos, mas deverá ser apresentado nos próximos dias. A previsão é que em março já esteja pronta e atendendo.

A UTI será instalada onde ela funcionava antigamente e onde está reservado para os atendimentos de pacientes do Coronavírus, onde estão seis leitos. O espaço vai ser ampliado e vai totalizar na verdade 22 leitos. A obra começa imediatamente porque a ampliação será de áreas externas.

Michel explica que o Hospital vai investir nas obras estruturais e a Prefeitura vai adquirir os equipamentos. Vale lembrar que 5 destes 10 novos leitos estão instalados. “Sempre digo que a Prefeitura tem sido grande parceira nossa”, enaltece o provedor. Ele enalteceu o apoio da secretária de Saúde Teresa Cristina e do prefeito Marcelo Chaves em todas as ações e iniciativas. Michel acrescentou os agradecimentos aos deputados estadual Mário Henrique “Caixa” e federal Diego Andrade.

O recurso não pode ser utilizado em outras tantas demandas que a Santa Casa possui, como para tratar dos pacientes com suspeita do Covid-19, folha de pagamento e outras despesas. Mas Michel afirma que antes, a direção pedia ajuda para manter o Hospital aberto, hoje é para expandir a prestação de serviços para a população, com novas especialidades, gerando novos postos de trabalho e tudo isto traz um desenvolvimento para a cidade. “Queremos que a nossa Santa Casa seja cada vez mais referência em saúde para região, isto só acontece porque o único propósito quanto diretoria, corpo clínico, colaboradores, é o bem-estar do paciente e o melhor para nossa cidade, todo mundo de mão dadas com o mesmo pensamento as coisas vão dar certo”, avaliou.

Para o diretor clínico da Santa Casa, Dr. Eduardo Vasconcelos os projetos que demandaram muita dedicação para solucionar os entraves, vai minimizar o sofrimento, ainda mais dos pacientes que saem da sessão de hemodiálise e precisam ir para o Pronto Socorro por causa de alguma descompensação e as vezes precisa até ser internado. A hemodiálise também aumenta a complexidade do Hospital e as equipes estão se preparando para dar suporte a mais esta especialidade, a nefrologia. Dr. Eduardo admite a UTI já atende com sua capacidade máxima de 10 leitos, em alguns casos é preciso manter pacientes na sala de emergência do Pronto Antedimento, até que surja alguma vaga aqui ou em outros hospitais da região.

O provedor Michel Renan, o vice Wilson Júnior e o diretor do Hospital Dr. Eduardo Vasconcelos. Fotos: Equipe Positiva

Empresas doam respiradores para nova UTI e garantem estrutura a pacientes do Covid-19

Michel e Wilson tiraram recentemente alguns dias para descansar e quando voltaram estavam no meio da furacão, no meio do anúncio de que a pandemia era uma coisa inédita e que demandaria aumento no atendimento dos hospitais e de aparelhos respiradores. Ambos estavam no Aeroporto e fizeram contato com fornecedores da Santa Casa para ver a possibilidade de adquirir dois respiradores, que fazem parte de um kit que vem com as bombas de infusão e os monitores.

Eles depois ligaram para alguns empresários e como todas as vezes acontece, foram prontamente atendidos. Foram comprados por eles cinco aparelhos frutos da doação do empresariado. Alguns pediram sigilo e não quiseram que os nomes fossem divulgados. Porém, o mais importante é que eles demonstraram uma contrapartida social, em precupação ao seus colaboradores e a população em geral. Duas delas são a Tecnotêxtil e a Artvac Embalagens.

Os aparelhos já estão disponíveis na ala criada para atender aos pacientes com suspeita de Coronavírus. Se não houvesse esta doação, muito provavelmente não haveria estrutura para atender a todos. Mas é bom lembrar que as cirurgias eletivas que demandam leitos foram canceladas devido a quarentena.

Novos tempos

O diretor clínico Dr.Eduardo conclui que a situação da Santa Casa mudou muito e tem dado tranquilidade para trabalharem com segurança, permitindo principalmente a ampliação dos serviços oferecidos. Segundo ele, é fruto também da colaboração da população trespontana que recebe a prestação de serviço  em contrapartida. Wilson Júnior se despediu agradecendo aos empresários, que os atenderam mais uma vez, sinal de que a administração do Hospital, é séria, transparente e tem a confiança da comunidade. Michel concluiu que está cada vez mais certo de que juntos podemos mais.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here