Os vereadores tiveram uma pauta carregada na sessão ordinária desta segunda-feira (24), mas não gastaram muito tempo para aprovar tudo. Antes de abrir as votações, os parlamentares do município de Três Pontas usaram a Tribuna no Pequeno Expediente. Dois temas predominaram – as comemorações do Aniversário de Morte de Padre Victor no fim de semana e as Eleições de 2018. Alguns não economizaram nas críticas àqueles que tiveram votos na cidade a quatro anos e, segundo eles, nada fizeram pelos trespontanos.

A vereadora Marlene Rosa Lima Oliveira (PDT) foi a primeira a usar o microfone. Por várias vezes ela parou, para ver se chamava a atenção das poucas pessoas que assistiam a reunião e dos próprios colegas que conversavam muito e andavam pelo Plenário. Marlene comentou sobre a Plenária Estadual do Parlamento Jovem, realizado na sexta-feira (21), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) em Belo Horizonte. Ela elogiou a participação dos jovens de Três Pontas e principalmente de Laura Helena que presidiu parte do encontro, na discussão do tema a violência contra a mulher, ocupando inclusive a cadeira de presidente do legislativo mineiro.

Sobre a Festa de Padre Victor, a vereadora diz que concordou com a mudança de local da feira, mas que é preciso uma junção de esforços para melhorar a estrutura do Parque Multi Uso.

Antônio Carlos de Lima (PSD), criticou os chamados candidatos paraquedistas, que nem conhecem a cidade, já ocupam uma cadeira no Congresso ou na Assembleia, não fizeram absolutamente nada pela cidade e agora fazem campanha por aqui. Disse que muitos nem conhecem o município e ainda conseguem angariar lideranças para pedir votos por eles. Antônio abriu uma exceção aos novatos, que não tem o que mostrar. Citando o nome do deputado federal Odair Cunha (PT), Antônio chamou o parlamentar de safado. As acusações é de que ele segurou emenda que destinou viaturas à Polícia Militar e não fez absolutamente nada. “É triste saber que ainda tem gente de Três Pontas que apoia e trabalha para ele”, desabafou na Tribuna.

O vereador Roberto Donizetti Cardoso (Podemos) quer que seja enviado um Requerimento ao prefeito Marcelo Chaves Garcia (MDB), para que seja informado a relação dos servidores municipais que estão trabalhando seis horas e, não oito como outros. Robertinho diz que não tem nada contra, porém, tem profissionais reclamando da diferenciação e que querem no mínimo receber as duas horas extras diariamente.

Ele reclamou em relação ao atendimento do Pronto Atendimento Municipal (PAM). Recomendou que as pessoas que trabalham lá, precisam ter mais paciência e tratar melhor as pessoas, que procuram o local em caso de problemas de saúde. Ele disse isto, porque uma pessoa que acompanhava um idoso de mais de 70 anos bastante debilitado, durante atendimento no Dia do Padre Victor não teve sua entrada permitida no PAM .

O vereador Sérgio Eugênio Silva (PPS) revelou que não estava muito a fim de se manifestar, se inscreveu por precaução aos seus antecessores. Em partes concordou com Antônio, mas lembrou que todo mundo teve a sua primeira vez na política e o candidato que ele apoia, além de ser bem recebido, levou dos trespontanos muitos votos. Sobre o deputado Odair Cunha, disse que ele é braço direito do governador Fernando Pimentel (PT) e nada fez. Porém, amenizou que o PT tem cargos na atual Administração, é da base, e poderia ter ajudado a cidade, que já lhe garantiu nas urnas muitos votos.

O vereador Luiz Flávio Floriano (Flavão – PSL), arrancou risos dos colegas e dos poucos que assistiam a sessão. Ele comentou sobre a mudança da feira do Padre Victor, concordando com o novo local, mas alertou que o Centro precisa de mais lixeiras para melhorar a limpeza e mais ônibus para fazer o transporte de volta dos devotos que vão a pé, até a Capela Santa Cruz, na Comunidade da Faxina, na missa de Padre Victor. No fim, em tom de brincadeira, Flavão enviou um abraço à sua esposa, em comemoração aos 24 anos de casamento que ele estava completando nesta segunda-feira. Por isto contou que ao chegar em casa namoraria muito.

Geraldo José Prado (Coelho – PSD) avaliou que a celebração do aniversário do Beato Padre Victor foi ótima e como foi o primeiro ano da feira no Parque, o resultado foi positivo. Os barraqueiros com quem ele conversou tem a mesma opinião. Ele sugeriu que a Associação Padre Victor invista também na melhoria do Parque e coloque mais pessoas para orientar os romeiros.

Ele anunciou que a Policlínica será transferida para o Posto da Peret. O local já ganhou uma ponte para facilitar o acesso ao imóvel que estava a bastante tempo fechado. A Secretaria Municipal de Saúde vai para a Policlínica e assim economizar no aluguel. Coelho também concordou que o deputado federal Odair Cunha deixou a desejar e as pessoas precisam ter atenção naqueles que só vem em Três Pontas buscar os votos.

O vereador secretário da Mesa Diretora Maycon Douglas Vitor Machado (PDT) e presidente do Parlamento Jovem usou seu tempo para destacar a felicidade que estava sentindo, por causa da participação de destaque que o Parlamento Jovem de Três Pontas teve na Assembleia Legislativa, durante a Plenária Estadual do projeto.

Maycon repetiu várias vezes nos cinco minutos, agradecimentos especiais a parceria com os vereadores e a Câmara, a quem atribui o sucesso deste ano. Depois de enfrentar resistência na própria Casa Legislativa, o presidente não conseguiu esconder sua alegria e divulgou a “fama” da estudante Laura Pessi e o reconhecimento que a cidade inteira ganhou. “A Laura defendeu e soube discutir as propostas levadas pelo Pólo”, registrou.

O tema de 2019 do PJ, será o “preconceito racial”. A proposta surgiu em Três Pontas, foi aprovada no Pólo regional e defendida com maestria por Laura. Segundo Maycon, com apoio dos vereadores e funcionários, este ano foram muitas as conquistas, pleitos de muito tempo de Parlamento.

Projetos

O Poder Executivo ganhou um pouco de fôlego com a aprovação de projetos que alteram o Orçamento para dar mais governabilidade à Administração. A grande maioria se trata de abertura de crédito especial.

Um deles será no valor de R$165.793,66, que a prefeitura está retirando da própria  Secretaria Municipal de Educação para utilizar no pagamento da folha do funcionalismo, reduzindo assim os gastos com recursos próprios.

O outro é abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$877.814,29 também na Secretaria de Educação para a manutenção da folha com recursos próprios, diante do déficit do repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Também do Poder Executivo, está sendo incluído no Orçamento o valor de R$100 mil que foi apurado de superávit financeiro que será aplicado na manutenção das ações de média e alta complexidade (MAC) junto à Secretaria Municipal de Saúde, especificamente para adquirir materiais de consumo.

Ainda em saúde, outra abertura de crédito no Orçamento, autoriza o Município a ampliar a subvenção da Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis em R$297.000,00, passando de R$1.248.000,00 para R$1.545.000,00. O aumento se dá para que seja efetuado, o pagamento de honorários médicos e servidores que prestam serviços no Pronto Atendimento Municipal (PAM), através da gestão compartilhada.

Na Assistência Social, recursos que foram apurados de superávit financeiro no valor de R$350 mil, foram suplementados as dotações da Secretaria Municipal de Saúde para manutenção de despesas com materiais de consumo e demandas judiciais e da Secretaria Municipal de Assistência Social, na manutenção de despesas com folha de pagamento de servidores e amortização de dívidas de financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), referente a construção do CRAS.

A pedido da base, foi inserido na pauta, dois projetos que abrem créditos nos valores de R$ 47 mil e R$150 mil que chegaram e serão utilizados para pagar as despesas de auxílio alimentação dos profissionais da educação com recursos oriundos do FUNDEB, diminuindo desta forma, a utilização de recursos próprios para a manutenção da folha de pagamento. Os repasses estão sendo insuficientes para arcar com as despesas com os servidores. Contudo, neste mês houve um superávit de tal recurso, sendo que, a Administração pretende utilizá-lo para pagamento já da folha do mês de setembro. Os projetos tiveram o pedido de votação em caráter de urgência e todos foram aprovados por unanimidade.

O último item foi o projeto projeto de Decreto Legislativo que dá o Título de Cidadania Honorária Trespontano, à professora de filosofia e sociologia Rosiari de Oliveira Carvalho. Ela é natural de Varginha e trabalha atualmente na Escola Estadual Jacy Junqueira Gazola.

COMPARTILHAR

Comentários