Home Blog

“A gente não tem que ter medo da vacina e sim da Covid-19”, diz pediatra pneumologista

0
Reportagem especial: Denis Pereira - A Voz da Notícia

 

Chegou a hora de vacinar as crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. As doses já foram distribuídas aos municípios e a imunização já começou na maioria deles. Prioridade neste momento é para crianças com deficiência permanente ou com comorbidades. A imunização completa é por meio da aplicação de duas doses da vacina com o intervalo entre a primeira dose (D1) e a segunda dose (D2) de oito semanas. Para as crianças as doses do imunizante são diferenciadas, o frasco é na cor laranja, com dose de 0,2ml, contendo 10 mcg da vacina Covid-19.

Pesquisas demonstram ainda que a administração do imunizante em crianças apresenta uma eficácia de 90,7% para a prevenção das complicações da Covid-19 em pelo menos sete dias após a segunda dose. E não foram observados eventos adversos graves associados à vacinação.

Diante de tantas dúvidas e questionamentos sobre vacinar ou não as crianças, a Equipe Positiva foi ouvir um especialista no assunto. A doutora Cinthia Chaves é pediatra e pneumologista pediátrica, mestre em saúde da criança e do adolescente pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é professora da Faculdade de Medicina na UNI-BH em Belo Horizonte e é a atual coordenadora do Núcleo do Pediatria da Faculdade.

Como ela trabalha com doenças respiratórias há muitos anos, a Covid-19 passou a fazer parte do seu ‘arroz com feijão’, tanto no dia a dia do seu consultório, como da cobrança de seus alunos. Ela revela que foi inundada com uma quantidade de informações nos últimos anos absurdas e por isso teve que correr muito para ficar minimamente informada sobre o que está acontecendo. A médica defende com unhas e dentes a vacinação de crianças e alerta que a Covid-19 é uma doença séria, que matou muita gente, 2.500 crianças e deixou em muitas sequelas irreversíveis. Por isso, o medo não deve ser da vacina, mas da Covid-19.

ENTREVISTA 
DRA. CINTHIA CHAVES
PEDIATRA E PNEUMOLOGISTA PEDIÁTRICA

As vacinas são seguras para serem aplicadas em crianças?

A vacina é segura sim. Os trabalhos sérios realizados com rigor científico mostram que toda vacina tem risco de reações. Mas o risco de reação é menor do que o risco de se contrair a Covid-19. A orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria é de que anão devemos temer a vacina e sim do Covid. Nós perdemos 2.500 crianças por Covid-19no Brasil. É pouco em relação a população adulta, mas são 2.500 famílias que perderam crianças, isso não pode ser ignorado. É uma mortalidade altíssima dentro da população pediátrica. E pensem que 2.500 crianças é a ponta do icebergue. Mas, quantas crianças foram para na UTI? Quantas ficaram com sequelas? A criança está em fase de crescimento e desenvolvimento, uma doença grave neste momento facilmente pode ser um evento irreparável. Com sequelas pulmonares, neurológicas, cardiovasculares e psicológicas. Além das crianças que ficaram sequeladas no momento da doença, existe ainda a Covid longa. Isto é, a pessoa que tem Covid-19 e depois tem a persistência daqueles sintomas.A pessoa continua com falta de ar por meses, continua com tosse, com problema neurológico e até sensorial. As vezes esta criança foi internada na enfermaria ou apresentou um quadro leve e ainda assim apresenta sintomas períodos prolongados. Precisamos proteger as crianças, Covid não é brincadeira.

Que dizer que as crianças sofrem o risco de complicações cardíacas e pulmonares caso contraiam a Covid-19, assim como os adultos?

Sim. Existem as complicações respiratórias, cardíacas , síndrome de inflamação multi sistêmica entre outras, o que é muito grave, e apresenta risco de morte e internação. O Covid-19 deflagra na criança uma série de problemas graves. Nos Estados Unidos, o órgão responsável pelas recomendações de vacinação, mostrou em análise que os benefícios da vacinação (prevenção de casos, hospitalizações e mortes) neste grupo etário superavam os riscos (ocorrência de casos de miocardite) em todos os grupos etários em que a vacinação está recomendada, tanto em adolescentes como em adultos jovens. Importante se faz destacar que os casos de miocardite epericardite observados por efeito adverso da vacina contra a Covid-19-19 tem sido quase sempre muito menos graves do que a miocardite na mesma faixa etária causada pela própria Covid-19 e do que miocardites observadas após outras causas, necessitando de menos dias de internação (em média 3 dias) e menor necessidade de admissão em unidades de terapia intensiva.

A vacina contra a Covid-19 então não evita apenas o óbito, mas as internações e complicações que ela pode causar?

Nas crianças e na população adulta também. Ela vai proteger as crianças e também o entorno delas, porque as crianças também transmitem a Covid. Daqui a pouco vão voltar para a escola, vão se misturar com outras e depois voltar para suas casas e podem transmitir a doença. Já existe comprovação de que a pessoa vacinada, mesmo quando contrai a Covid ela transmite menos. Precisamos vacinar as crianças para proteger a criança, da doença, da sequela, da morte, da complicação que ela sofre e para diminuir a contaminação no seu meio de convívio. Assim protegemos a criança e a família. Como por exemplo, os avós que tem comorbidades e que o sistema imunológico não responde tão bem assim a vacina, totalmente diferente dos pequenos.

E as crianças que tem algum tipo de comorbidade então a necessidade é ainda maior?

É urgente. A gente tem que vacinar o mais rápido que conseguirmos. E, assim como nos adultos, temos que vacinar primeiro as crianças com comorbidades.

As crianças podem ter reações a vacina?

As crianças podem ter sim reação, assim como eu tive e todo adulto pode ter. Toda vacina pode cursar com algum grau de reação, embora a maioria das pessoas não tenham nada. O risco é de efeitos colaterais da vacina é baixo. Mas precisamos de entender que eles não se comparam com o risco da própria infecção. Na população pediátrica, as mães estão mais acostumadas com isso que os adultos. Mas, a maioria das vezes são reações leves as quais já estamos acostumadas.

Mesmo depois da aplicação da primeira dose nas crianças, é preciso manter os cuidados sanitários, como o uso da máscara, o uso de álcool em gel e distanciamento social?

Com certeza. E lembrando que a vacina diminui muito as complicações mas não impede de você pegar a doença. E a ômicron diminuiu isso ainda mais. O número que a gente tem com a vacina da Pfizer, mostra que a pessoa sendo vacinada, tendo feito reforço ela conseguia uma proteção de 80% aproximadamente contra as variantes anteriores do Covid. Com a ômicron isso caiu para 30% de proteção. Quem se vacina tem uma boa proteção para não morrer, para não complicar, mas não para pegar a doença. Você pode se vacinar, fazer as doses de reforço e pegar a doença sim e as crianças também. O ideal hoje é que todos se vacinem e tomem as doses de reforço, mas continuar usando máscara e fazendo o distanciamento social.

A tendência é que as crianças devem receber doses de reforço? 

A princípio sim. A gente deve ter doses de reforço nas crianças assim como estamos tendo na população adulta.

As crianças que estejam com sintomas gripais podem tomar a vacina?

A gente vai seguir a mesma orientação que as mães já conhecem das vacinas anteriores. Sintoma gripal não é contra indicação da vacina.

Quais os cuidados os pais devem tomar caso a criança teste positivo para a Covid-19, para evitar que ela transmita para outras pessoas adultas de casa, haja vista que a criança tem dependência?

É muito mais difícil. Neste caso, precisamos usar máscara o tempo todo, inclusive dentro de casa, lavar as mãos, separar a criança dos outros membros da família e ter muita atenção com os avós. Aqui no consultório, temos muitas crianças que os pais saem para trabalhar e elas ficam sob os cuidados dos avós. Neste caso não tem como deixa las, é preciso manter o distanciamento social.

“Não é uma gripezinha, temos que tomar cuidado”

A gente tem visto este ano, muita gente com gripe nesta época que geralmente não tinha. Como evitar isto em crianças?

Estamos em meio a três epidemias – da influenza, da Covid delta e da Covid ômicron ao mesmo tempo. Esta é uma situação inusitada, uma fase histórica triste para a medicina. No verão normalmente não teríamos essa quantidade de doenças respiratórias. Em 2021, infelizmente tivemos no Brasil um recorde de óbitos. São números reais traduzidos em atestados de óbito. Tivemos ano passado, mais pessoas que morreram do que nasceram em nosso país. E isto é muito, muito triste. Não é uma gripezinha, temos que tomar cuidado. Graças a Deus estamos vacinados, a mortalidade diminuiu mas não pode ser encarado como uma doença leve. Temos que tentar fugir dela, o máximo possível, do jeito e da forma que as pessoas puderem.

Qual o seu recado para pais ou responsáveis que talvez estejam pensando em não vacinar as crianças?

Eu vou reforçar a frase da Sociedade Brasileira de Pediatria: “Precisamos ter medo do Covid-19 e não da vacina. A doença é muito mais letal e arriscada do que a vacina.”

Três Pontas bate novo recorde, com mais de 150 casos de Covid-19 em 24 horas

0

 

Três Pontas bateu um novo recorde de casos confirmados de Covid-19, nesta quarta-feira (19). De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, nas últimas 24 horas, foram 159 novos casos, totalizando agora 8.261 de pessoas infectadas.
Desde o início do ano de 2022, que os casos voltaram a disparar o maior número havia sido registrado no dia 11 de janeiro, com 125 casos positivos.
A faixa etária com o maior número de positivados é entre 20 a 39 anos, com 3.427 pessoas. Só nesta quarta-feira foram 69 a mais. As pessoas em isolamento aumentaram em 155, de terça para quarta-feira, sendo 964 no momento.
Na Santa Casa estão ainda outros 10 pacientes com suspeita da doença. Além do novo recorde de casos do ano, o número de pacientes internados no Hospital São Francisco de Assis volta a chamar a atenção e acender um sinal de alerta. São 15 leitos no total sendo ocupados, sendo 5 com a Covid-19 confirmada (aumento de 4) e outros 10 aguardando diagnóstico (aumento de 7).
O município já tem 7.124 pessoas recuperadas e 31.902 pessoas com sintomas gripais, que tem recebido a indicação que fiquem isolados em casa. Os óbitos são 168 desde o início da pandemia.

Câmara aprova reajuste de servidores e professores e a criação de novos cargos na Prefeitura

0
Texto e fotos: Equipe Positiva

 

A Câmara Municipal convocou os vereadores para uma sessão extraordinária na manhã desta quarta-feira (19), no Plenário Presidente Tancredo Neves, em Três Pontas. Na pauta, o projeto que trata do reajuste dos salários dos servidores municipais e professores; aumento do valor pago do auxílio alimentação e a criação de cargos em algumas secretarias da Prefeitura.

A Comissão de Recesso despachou o projeto que chegou com pedido de votação em caráter de urgência, já que os novos valores já serão pagos no fim deste mês de janeiro. O projeto foi elogiado pela maioria dos vereadores, dado ao percentual do aumento, porém, até mesmo a situação criticou novamente que a Administração tenha mandado mais uma vez, em um único projeto, dois itens totalmente diferentes.

 

 

O projeto
REAJUSTES E NOVOS CARGOS

O projeto de lei 001 de 07 de janeiro do Poder Executivo, garante 11% de reajuste aos servidores ativos, inativos, de todas as categorias de funcionalismo, 25% para os profissionais do magistério e um reajuste no auxílio alimentação para R$350. O valor do ticket atualmente é de R$223,71.

Importante ressaltar que o Governo Federal, ainda não definiu o percentual que será dado a nível nacional, mas pode ser em torno de 33%. Neste caso, o Executivo poderá enviar um novo projeto para atender a diferenciação.

Os vereadores discutiram a emenda supressiva apresentada pela Comissão de Recesso, que cria 8 cargos nas secretarias de Desenvolvimento Econômico, Administração e Recursos Humanos, Saúde, Educação, Assistência Social e no gabinete do prefeito.

Os cargos são todos de chefias de divisões – Comunicação Social, Políticas do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), Desenvolvimento Econômico, Gestão de Pessoas, Saúde Bucal, Ouvidoria do Sistema Único de Saúde (SUS), Planejamento de Compras Governamentais e Limpeza Urbana e Coleta de Resíduos Sólidos. Estes dois últimos, só podem ser ocupados por servidores efetivos, os outros seis são de recrutamento amplo e a nomeação é livre, a partir de fevereiro. Os cargos tem o mesmo valor de salário mensal R$4.593,12 mil e o gasto anual será neste primeiro ano de R$404 mil.

O bloco da oposição, Paulo Vitor da Silva (PP) e Roberto Donizetti Cardoso (DEM), condenaram a iniciativa e relembraram que estes cargos foram cortados em 2019, com a justificativa de que na época eram desnecessários. Paulinho diz não ser contra a criação de cargos amplos, que inclusive ele já ocupou, porém, o Poder Executivo repete a velha história de enviar tudo em um único projeto – o reajuste com a criação dos cargos. Apesar de que, o valor gasto com estes de agora é superior ao extintos anteriormente. Robertinho alegou que é preciso estudar melhor se realmente existe a necessidade destes cargos.

Já o vereador Geraldo José Prado (PSD – Coelho), adiantou que nunca foi adepto a criar cargos políticos, mas que integra a Comissão de Recesso foi procurar informações no Executivo. Coelho soube que as secretarias estão precisando destes funcionários, que a folha de pagamento está com gastos controlados e a Administração está trabalhando bastante.

Apesar de ser do bloco de oposição, Sérgio Eugênio Silva (Cidadania), diz que já pediu que projetos precisam ser de um único objetivo, até mesmo para melhor análise dos vereadores. Poderia votar contrário, por mais uma vez o pedido feito por todos não serem atendidos, mas anunciou que daria mais um voto de confiança e votaria contra a emenda supressiva.

O presidente da Câmara Maycon Douglas Vitor Machado (PDT), foi na Tribuna e disse que enviaria um novo ofício ao gabinete do prefeito Marcelo Chaves (PSD), pedindo novamente o desmembramento das matérias. Ele elogiou a Administração pelos reajustes dados e defendeu que é lei federal a diferença aos profissionais do magistério, o qual ele faz orgulho de integrar. O projeto foi aprovado por unanimidade, mas foram contrários a criação dos cargos, a favor da emenda supressiva – Paulinho, Robertinho e Coelho.

A Câmara volta do recesso no dia 07 de fevereiro, com as reuniões ordinárias.

NOTA DE FALECIMENTO quarta-feira 19 de janeiro

0

 

Faleceu Raimunda Francisca Maciente, mais conhecida por Muna. Ela residia na Rua Corredor da Formiga 418, no bairro Cidade Jardim. O corpo está sendo velado a partir de 9:30 e o sepultamento será hoje as 17:00 horas.

URGENTE: Pode faltar água hoje por causa de rompimento da rede

0

 

Um rompimento na rede da Estação de Tratamento de Água de Sete Cachoeiras, pode provocar a falta de água nesta terça-feira (18), em Três Pontas. De acordo com o Saae, o desabastecimento deve ocorrer nos bairros: Ponte Alta I e II, Jardim Primavera, Aristides Vieira, Jardim Paraíso, Philadélfia, Alcides Mesquita, Vila Marilena, Antônio de Brito, Morada Nova e adjacências.

A recomendação aos moradores é que todos economizem água. A equipe de manutenção já está trabalhando para sanar o problema.

Jovem é preso depois de fazer a ‘limpa’ em loja do Centro no fim de semana

0

 

A Polícia Militar prendeu durante a tarde desta segunda-feira (17), um jovem de 21 anos de idade que fez a limpa durante o fim de semana, em uma loja de roupas no Centro da cidade de Três Pontas.

A dona da loja que fica na Rua Dr. Pedro Augusto Meimberg chegou para trabalhar e encontrou a porta arrombada e semiaberta. Ela acionou a PM que verificou imagens de câmeras de segurança de outros comércios em torno. A audácia do criminoso foi tanta, que as imagens mostraram que ele iniciou o furto as 23h30 de sábado, mas ele retornou outras vezes no domingo e na madrugada de segunda-feira na loja para furtar.

Uma testemunha encontrada pela polícia, afirmou que viu o rapaz saindo do estabelecimento no início da manhã, por volta de 5h30, porém, por conhecê-lo ficou com medo e não chamou a PM. Imagens de outras lojas confirmaram a suspeita da polícia, por um rapaz que já é bastante conhecido na prática de furtos.

A PM fez buscas durante o dia todo e durante a tarde encontrou o rapaz perto da sua casa, no bairro Bom Pastor. Ele admitiu que cometeu o crime e que havia escondido os materiais em um terreno baldio que fica na Rua Santana. No meio do mato, os militares encontraram, um CPU de computador e um saco plástico com diversas peças de roupas dentro.

O jovem levou 15 calças jeans, 23 blusas femininas, três vestidos, três shorts, duas saias, um conjunto de saia e blusa e um cinto.

Ele foi preso e apresentado na Delegacia de Polícia Civil, onde foi realizado o seu auto de prisão em flagrante delito e encaminhado ao Presídio, onde fica a disposição da Justiça.

Comissão hospitalar de doação de órgãos formada na Santa Casa, escreve seu nome na história

0
Fotos: Denis Pereira/EP

 

A Santa Casa de Misericórdia do Hospital São Francisco de Assis de Três Pontas, ganhou mais uma referência para o Estado de Minas Gerais, que é a captação múltipla de órgãos para transplante. O trabalho para que isto acontecesse não começou agora. No Hospital foi formada a Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT). Na última semana, a equipe foi coroada por um “sim” da família do jovem de 22 anos. Alessandro de Paula Vitor Júnior, morreu após sofrer um acidente de moto e acabou tendo morte cerebral.

Foram doados, o coração, os rins, o fígado e as córneas e no mínimo seis vidas puderam ser salvas, com este gesto nobre da família, que mesmo em um momento extremo de luto, tomaram a decisão de autorizar a captação para salvar vidas que aguardam, muitas vezes, há anos por transplante em uma fila.

A CIHDOTT é formada por seis enfermeiras, uma psicóloga e o médico neurocirurgião Dr. Filipe Mota Zanatelli. O grupo é atuante e atento as possibilidades que surgem. A Santa Casa já fez a captação de córneas, retirada inclusive por uma equipe do próprio Hospital, mas é a primeira vez que a captação é múltipla.

Quem se enche de alegria para contar os passos desta comissão é a sua presidente,  Adriene Patrícia Ferreira Pires. Sua história de vida pessoal e a bravura que enfrentou em 2016 – pela sua filha Maria Luiza Ferreira Pires, a época com apenas 5 anos – a fez ser receber o convite de ser a enfermeira responsável pela CIHDOTT, e fazer dela uma Comissão atuante. Reuniram-se um grupo de enfermeiras, que juntas sonharam com a possibilidade de um dia, o hospital que dedicam anos de suas vidas, pudesse fazer captação de múltiplos órgãos. Começaram uma jornada de cursos e visitas técnicas. Mais aí veio a pandemia e tudo ficou parado, até que surgiu o primeiro protocolo de morte encefálica. Com grande, parte da equipe distante, para que tudo desse certo, Adriene fez da Santa Casa a sua casa e durante três dias, com ajuda incansável de Brunna e Talita, e com apoio a distância de Tatiane, Daniele e Alessandra, ninguém mediu seus esforços para que tudo acontecesse.

Uma das maiores missões da CIHDOTT, é ofertar à família, mesmo diante da dor, proporcionar que outras pessoas possam viver. Talvez isto para Adriene, tenha um peso maior, porque um dia também precisou de um sim. Quando a família de Alessandro foi abordada e aquela mãe disse sim a doação de órgãos, a mãe da Maria Luiza, viu nela a grandeza que enxergou em Dona Regina, mãe da Helen Rose Mendes Mesquita, que doou 30% do fígado para sua pequena, que a vida da sua filha fosse mudada.

A resposta positiva desta família na última semana, também transformou a história – das famílias e das pessoas que receberam os órgão, a história dos profissionais e principalmente a nossa deles e da população do nosso Hospital. “Foi um sim dado diante de tanta dor e lagrimas, mas que no fundo trazia conforto e paz ao coração”, celebra Adriene Pires. Ela compartilha da alegria e atribui que isto só foi possível porque muita gente abraçou seu sonho que se tornou o sonho de todos. Estar numa lista de espera, esta mãe sabe o quanto é é doloroso. Quando você pode estar do outro lado, podendo fazer por quem também espera, é algo que palavras ditas são impossíveis de expressa o sentimento que flora na alma e pulsa junto ao coração.

O apoio incansável do MG Transplante, que os direcionou durante todo percurso. A enfermeira Evelyn, por dividir com elas a sua experiência e Administração que esteve todo momento junto. No caso da doação múltipla, o processo é mais complexo e com diversas fases. A primeira é diagnosticar o paciente em morte encefálica por algum acometimento que seja detectado por exame de imagem, comprovando a lesão cerebral. Em seguida, são feitos exames clínicos e por último, um exame que comprove a ausência de atividade cerebral. A Secretaria Saúde foi ágil de encaminhar os exames para Belo Horizonte e fazendo inclusive o transporte. Ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) que com muita gentileza emprestou o aparelho eletro e liberou o profissional para realizar o exame. Aos setores: farmácia, compras, recepção e faturamento pela agilidade nas demandas que surgiam. A equipe da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pelo seu cuidado impecável. A lavanderia por preparar todos os kit’s com muito carinho. A equipe do Centro Cirúrgico que mostrou a grandeza que é Hospital, abençoado pelo patrono São Francisco que deixou tudo impecável, que fez com que o procedimento fosse realizado sem nenhum estresse, porque tudo estava na perfeita ordem e as equipes médicas que vieram de Itajubá e Belo Horizonte encantadas.

A chefe da enfermagem do Hospital, Alessandra Pereira e a presidente da CIHDOTT Adriene Pires

“Viramos a página do livro de Ata da CIHDOTT, e nele podemos escrever: somos um hospital, onde realiza captação de múltiplos órgãos. Temos profissionais capacitados para realizar o procedimento. Muitas vidas foram modificadas neste dia. Hoje existe alguém em que o coração, bate em seu ritmo normal, duas pessoas que se livrou da hemodiálise, uma pessoa deixou ser condenado a morrer por cirrose hepática. A pessoas que vê a vida com mais cor”, ressalta a presidente Adriene Pires.

A psicóloga do Hospital Brunna Mendes de Oliveira é também integrante da Comissão e precisa estar muito engajada com a equipe e participando desde o início, quando o médico e profissional de enfermagem identifica o potencial doador. É neste momento que a equipe da CIHDOTT é acionada e Brunna inicia a sua atuação.

Ela revela que foi preciso estar bem preparada para falar com a família e estar com o protocolo de morte encefálica comprovado. Muitas  vezes as famílias ficam na dúvida, de dar o sim, com medo de entregar seu filho para a morte e dúvidas como será se ele não pode voltar a vida são frequentes de quem passa por isto. A morte encefálica é explicada pelo médico neurologista da equipe. Familiares ouvem que não há mais volta, que a partir da constatação da morte encefálica não há reversão e é preciso deixar claro isto à família para não haver dúvida daquela decisão da doação dos órgãos.

Outra revelação feita por Brunna é que geralmente a morte encefálica ocorre em pessoas mais jovens e muitas vezes a família se culpa alegando que talvez poderia ter feito algo para que esta história fosse diferente. “A gente mostra que não é culpa deles, que é um fato. Sem falar que a morte para nós seres humanos, já é muito difícil de ser aceita como algo natural que todos irão enfrentar, mas as pessoas não estão preparadas para lidar com a morte, ainda mais uma morte precoce”, disse. Neste caso específico, a psicóloga trabalhou bastante durante as visitas. A mãe do jovem contou sobre a vida e os sonhos e os planos que o filho tinha e foi interrompido.

Como vários exames são feitos fora, pelo MG Transplante e inclusive pela Funed há um tempo de espera. Brunna esclarece que independente do sim ou não da família à doação dos órgãos a demora é certa. A lei hoje permite que a partir da família dizer não à doação de órgãos, a unidade hospitalar pode desligar os aparelhos do paciente, mas na Santa Casa de Três Pontas, o protocolo não é este. Os aparelhos continuam ligados até que o organismo leve os órgãos a parar.

A responsável técnica da equipe de enfermagem do Hospital, Alessandra Coelho Pereira, lembra que a enfermagem é o carro chefe de um Hospital e na doação de órgãos não é diferente. É um trabalho de muita responsabilidade, que recebeu o aval e apoio da Administração da entidade para que o trabalho deste protocolo seja constante. Ela termina com palavras de gratidão. “À Santa Casa, aos lideres e liderados, e à enfermagem que faz jus e honra o juramento que fez de salvar vidas”, completa Alessandra Pereira.

O médico José Renato de Melo, coordenador das Organizações de Procura de Órgãos (OPO) (OPO) Sul, que é vinculado ao MG Transplante de Minas Gerais, enalteceu em um vídeo gravado a pedido da Equipe Positiva, o trabalho realizado pela equipe e a extrema solidariedade da família do doador. Ele justifica que o MG Transplante faz campanha continuadamente para que as pessoas em vida, expressem a seus familiares o desejo de ser doador.

A mensagem que todos os membros da Comissão Intra Hospitalar deixa no fim desta reportagem é que as pessoas possam estar abertas a dizer sim para a doação de órgãos, que salva vidas e com certeza devolva a qualidade de vida a muita gente.

Governador de MG Romeu Zema testa positivo à Covid-19

0
Visita do Governador Romeu Zema a TP. Foto: Arquivo EP

 

O governador Romeu Zema (Novo) testou positivo à Covid-19 nesta segunda-feira (17). Ele realiza preventivamente testes diariamente. Zema apresenta sintomas leves e permanecerá em isolamento, pelo período estabelecido pelo protocolo da Secretaria de Estado de Saúde. A notícia foi divulgada pela Assessoria do Governador.

Em função disso, o governador participará de forma virtual da coletiva de imprensa sobre os recursos destinados aos atingidos pelas chuvas através do Plano Recupera Minas.

NOTA DE FALECIMENTO terça-feira 18 de janeiro

0

 

Faleceu Lúcio Victor Fabre, mais conhecido por Lúcio da Funerária, pai da Fifia do PSF. Ele residia na Rua Ítalo Duarte 331, no bairro Jardim das Oliveiras. O corpo dele está sendo velado no Velório Municipal e o sepultamento será hoje as 17:00 horas.

Veja a programação semanal da vacinação contra Covid-19

0

 

A vacinação contra a Covid-19 para adultos segue em Três Pontas, com alteração de horários da imunização. Começou nesta segunda-feira e vai até quinta-feira (20), no Ginásio Poliesportivo Delvo Côrrea, no bairro Padre Victor, dose da Pfizer, de 13h as 16:30. Devem receber o imunizante: quem ainda não se vacinou, nem com a primeira dose, quem precisa da segunda dose, ou quem já está no prazo para receber a dose de reforço (3ª dose).

Na quarta-feira (19), de 8h as 12 horas, no PSF Dr. Oscar de Oliveira Brito, tem vacina da Coronavac, 2ª dose e quem está em atraso.

Em todos os casos é preciso levar o cartão de vacinação. Em caso de segunda dose ou terceira, é necessário que seja apresentado o cartão preenchido com as doses anteriores.